Imagens, Comentários e Estórias de Valdanta (Chaves) e das suas gentes. O meu endereço é "pereira.mos@sapo.pt"
Terça-feira, 23 de Outubro de 2007
Raízes
 
Normalmente as memórias históricas deste ocidente pirenaico convergem, divergem ou centram-se quase sempre nas épocas proto - cristãs e seguintes.
É uma preferência cómoda e comodista que configura um grave injustiça para com os Povos que os precederam e também foram baluartes de Culturas e Civilizações notáveis.
Encurtando razões, aqui pelas nossas redondezas galaico - transmontanas campearam Povos mais caracterizados pela sua estrutura tribal do que por uma unidade nacional.
Os primevos foram os Oestrimnios.
 Os Gregos, nas suas viagens à Península Itálica, resolveram dar o nome de Ítalos às diferentes Tribos com que negociavam. Quando chegaram às costas atlânticas, deram o nome de Iberos aos seus habitantes.
Aos habitantes do Noroeste Ibérico chamaram Kelkitoi ou Kallaikoi - Celtas..
 Os Romanos, imitadores cuidadosos dos Gregos, chamaram á Ibéria Hispânia.
Prevendo que os Portugueses do século XXI iriam «ser os maiores» na lei do menor esforço, não estiveram para se cansar e latinizaram “ao calhas” os nomes dessas Tribos.
Todo este Noroeste Peninsular constituía a GALLAECIA.
Uns atribuem-lhe o nome argumentando que os Romanos, encontrando muitas semelhanças nos modos de vida e bravura destes povos com os da Gália, acharam por bem chamar à Região Gallaecia, que significava Pequena Gália; outros, consideram que, estes Povos se denominavam Callacci e fizeram a vida de conquista tão negra ao Romanos que estes, dentro da sua habitual forma de expressarem o reconhecimento pela bravura dos adversários deram o nome de Gallaecia à Região.
 Nesses tempos pré-greco-romanos havia aqui entre nós, Alta-Tamegânia, as Tribos dos Limiagos, Tamaganos, Turodi, Callaicos, Ladovios, Luancos.
Mais afastados, os Bracaros, Interamici, Narbasos Seurbios e Grovios.
Ao longo do Vale do Tâmega, de  Verin a Vila Verde (actuais) viviam os Tameganos; no coração da Veiga, os Turodi; e na veiga de Vidago, os Ladovios (que legaram o seu nome a Loivos).
Os Clãs principais destas Tribos ocupavam preferencialmente os pontos mais elevados do território.
Nas elevações, de onde melhor podiam vigiar quem se aproximasse e melhor se defender, os Cibarcos, os Lemavos, desde Lamadarcos a Monforte; e os  Nemetenos e Seurbios , do Cambedo a Ardãos e Cervos; desde Vilarelho, Bustelo, Calvão, Castelões, Soutelo, Pastoria e Curalha, os VALDÂNTICOS.
 As boas relações destas Tribos com outras mais litorais levaram à celebração de uma boda faustosa  entre uma princesa da  tribo dos Groivos e um príncipe Valdântico
Ao casal  foi atribuído o território bem defendido pela linha de castros que ia desde Verin até Curalha, edificados em Vilarelho, Cambedo, Castelões, Seara Velha  e Curalha, a anteceder os primeiros contrafortes do Larouco e  uma pequena elevação  estratégica  a delimitar a Veiga do Rio Tamaco, e dominando um Vale fértil.
Em honra das origens da tão formosa princesa, deram ao coração desse Vale o nome de Groiva.
Na elevação ondulada que se ergue entre a Veiga e a Groiva, prosperou a nova Tribo Groivo-Tamacânica, intitulada a Tribo dos VALENTINOS ou VALÂNTICOS.
Estava consolidada pelos Clãs  Abolenses, Pomáceos, Candulenses  e Gran- hidrânios
Alguns historiadores atribuem-lhes o primeiro nome de VALENTINOS pela fama de conquistadores e sedutores que os Jovens e as Jovens dessa Tribo adquiriram ao prenderem pelo beicinho as Jovens e os Jovens das outras paragens, logo ao primeiro catrapiscar de olhos.
Lembram que a beleza quase divina, a riqueza mais que fabulosa, e a nobreza e altivez da princesa Groiva sucumbiram redondamente ao encanto do príncipe da Valdantália.
Outros, encontram mais adequado o segundo termo, VALÂNTICOS, em apreço pela valentia que os seus guerreiros   -  nesta Tribo, a guerra era feita por homens e mulheres  -   demonstravam na defesa do seu território ou nas expedições das suas conquistas.
Os traços históricos de identidade desses antepassados ainda hoje sobressaem no génio e no talhe fisionómico das nossas “Raparigas-Mulheres”, dos nossos Jovens e dos seus Avós!
E Nomes e Apelidos atestam a continuidade de «nobre linhagem»!
             Por volta do ano 234, já romanizada a Península, por aqui comandou um jovem Cônsul romano.
Cheio de sede, foi a uma das fontes saciar-se. O seu olhar tropeçou no de uma moçoila candulense.
Derretido, plantou por aqui, em CALANDUM, o seu acampamento.
Chamado a Roma, por seu pai, o Imperador Treboniano, combateu os Godos   na fronteira oriental, saindo vitorioso graças à valentia  da sua Ala de Valdânticos. O Comandante desta foi nomeado Centurião Romano.
O Imperador assemelhou a resistência e a valentia dos VALDÂNTICOS  a um muro.
Apelidaram-nos “MURILHOS”.
Eleito Imperador, projectava regressar à terra dos seus encantos.
A morte surpreendeu-o numa das campanhas no sul de Itália.
Saudosa do seu Cônsul, a Valdantália  ergueu uma Coluna em sua honra, onde ficaram gravados o seu nome, o da sua apaixonada candulense e outras homenagens.
Talvez em alguma das pedras da Igreja de S. Domingos ainda persistam inscrições desse monumento.
 E uma queixa soluçante se ouve ainda hoje por entre os pinhais e amieiros de Vale Salgueiro …
 
  
Romeiro de Alcácer
 
 



publicado por J. Pereira às 10:39
link do post | comentar | favorito

4 comentários:
De vale-de-anta a 23 de Outubro de 2007 às 22:17
Um dos melhores posts escritos sobre Valdanta . Parabéns ao seu autor.
Jorge Romão.


De ÁguasFrias a 23 de Outubro de 2007 às 22:56
Este blog não pára de me surpreender:
- As belíssimas e bem contadas estórias das gentes de Valdanta;
- Agora, esta pormenorizada HISTÓRIA dos povos que calcorrearam e estiveram na origem de VALDANTA.
Estão todos de parabéns, VALDANTANOS.


De A.Cruz a 23 de Outubro de 2007 às 23:41
As nossas raízes estão nos ascendentes do Romeiro de Alcácer !
Ele é o Príncipe da Valdantália, que regressou para derrotar os «bárbaros» !!!
Sobre o texto?
Leiam e releiam...


De Lai Cruz a 24 de Outubro de 2007 às 23:53
Maravilha!!!


Comentar post

J. Pereira
Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


O Tempo em Valdanta
blog-logo
Flavienses TT
Visitas
posts recentes

Uma Matança em Valdanta

Mais reis

Os Reis de 2013 cantados ...

S. Domingos

Cantos da minha paixão

O Folar de Chaves

Neblina até Curalha

Grupo AMIZADE

CALDO DO POTE (para o Nov...

Boas Festas

O Cando com Encanto

Valdanta está em festa

Festa de S. Domingos - Pr...

Um amigo está doente

“Maldição de S. CAETANO(?...

Xinder

Princípio do Fim

Brincadeiras

UMA PÁSCOA EM TEMPO DE CR...

Missa de 7.º Dia

Recantos da minha Terra

Geração à Rasca

Valdantenses por outras p...

A Primavera vem aí

S. Domingos 2011

Amendoeiras em Flor

Reflexos

Tive Sorte

Recantos

Beleza de Valdanta e do M...

Esclarecimento

O recreio da minha escola

Um bom serão

Torneio de FUTSAL

Os Reis

Hoje é dia de Reis

Feliz 2011

Feliz Natal

Matança do Reco na ABOBEL...

O Blero

G. D. de Chaves (anos 50)

4.º Aniversário do Blog

S. Domingos - Resumo da s...

Ovelheiro

Igreja da Abobeleira

Nadir Afonso - Doutor Hon...

Encontro dos Bloguistas d...

Recanto de Valdanta

A D. Maria Isabel faleceu

É preciso ir aos treinos

arquivo

Março 2013

Janeiro 2013

Agosto 2012

Maio 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006