Imagens, Comentários e Estórias de Valdanta (Chaves) e das suas gentes. O meu endereço é "pereira.mos@sapo.pt"
Domingo, 26 de Outubro de 2008
O meu Cantinho

 

Não vou fazer grandes comentários sobre este cantinho. Apenas digo que era o meu cantinho das brincadeiras de criança dos meus primeiros namoricos e de muita nostalgia.

Também dá para as casas da tia Luíza, da Ana do Roque e do ti Barneque, além da entrada da cozinha da minha casa.

 



publicado por J. Pereira às 22:28
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 22 de Outubro de 2008
Conversa com Zeus

CONVERSAS   COM   ZEUS

-III-

 

OS  FIGOS  DA  VALDANTÁLIA

 

 

 

 

Viajámos para a Tamegânia, e aportámos à capital da GROIVALÂNDIA.

Ancorámos no «Largo do Forno do Pobo», e uma afanada figueira, carregadinha de balhadoiços, estava mesmo a desafiar-nos com uma galha penduradinha para a estrada.

Gatinhámos pelo muro, e lá conseguimos chegar a um figuito dos quatro que nos pareciam estar mais à mão.

O pecado ao «não roubarás» (nós estávamos a rapinar!) bradou aos céus.

E Zeus veio ao seu varandim espreitar.

Topou-nos logo.

E ainda não tínhamos posto o pé no chão   -  estávamos a acabar o quarto figo e a desistir de todos os outros, por «estarem verdes»    -    e já Zeus nos tinha posto a mão no braço.

Com aquela franqueza já habitual entre nós, atirei-lhe, como que justificada desculpa:

- Tens a mania de dar FIGOS a quem os não quer comer!

E Zeus respondeu-me:

- Pelo toque de alarme de pecador da sineta logo vi que eras tu!

- Receei que desses um trambolhão, depois não podias «VIR AOS SANTOS», e aqui estou.

 

Para quem não sabe, Zeus também é malandreco. Como já o conheço de  ginjeira, apanhei-lhe aquele trejeitozito de fiteiro quando diz uma verdadezinha para esconder outra.

Provoquei-o à maneira dos Valdantinos:

- Bem m’eu finto!

 

- Bem, bem!  -  começou Zeus. Na verdade, eu estava assim com uma impressão aqui na boca do estômago e nem sabia o que havia de meter à boca. A fartura que via à minha volta não me despertava o apetite.

Olha, ainda bem que pecaste. Abençoado sejas!!

É que ao chegar ao varandim e ver onde tu estavas logo dei conta que, afinal, o que me estava a apetecer era mesmo uns figuitos maduros, bonitos.

Esta figueira está carregadinha, mas os de comer estão muito altos e tu não lhes chegas.

Anda. Vamos a um sítio onde o guloso do TORGA se regalava, sempre que vinha às Freiras. Lá, mesmo do chão, é só apanhar e meter p’rá boca.

O local do crime é na GRANGINHA, no Quintal do (sr.) CRUZ, conheces?!

Com um carolo de pão centeio, vamos comer uma abada deles!

 

Zeus é «um tipo porreiro». É um deus endiabrado. Está sempre pronto para uma tainada ou para uma canelada.

Mal pus o pé no chão já estávamos no portão do nº 17, Rua da Amoreira ou Central(?), ao Largo da CAPELA  DA  GRANGINHA, na G R A N J I N H A.

Não vos digo, nem vos conto!

Mas ZEUS é cá um comilão de figos!....

 
 
 

Tupamaro

 



publicado por J. Pereira às 21:02
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Segunda-feira, 20 de Outubro de 2008
A Rosa e o Lelo

 

 

 

Estes amigos são a Rosa e o Lelo que já há muitos anos não via. Ajudei a casá-los e depois partiram para o estrangeiro. Primeiro o Lelo para a França, mas o destino levou-o até à terra do tio Sam, já com a companhia da Rosa.

Por lá têm vivido, onde angariaram um pé de meia que deu para fazer a sua casa à pequena aldeia transmontana que os viu nascer (Valdanta) e que é o seu orgulho, a sua vaidade e a sua paixão.

Fizeram questão de ma mostrar e eu fiz-lhes a vontade e agora chegou a sua vez de ter honras de internet.

Desejo que ambos tenham muita saúde e anos de vida para a gozar.

 

 



publicado por J. Pereira às 15:00
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 16 de Outubro de 2008
Fonte da Estrada

 

Há uns tempos atrás denunciámos, aqui, o estado lastimoso em que se encontrava a Fonte da Estrada, mas hoje viemos, aqui, mostrar que foi feito um trabalho de recuperação limpeza e colocação de grades de protecção.

Existimos para isto mesmo denunciar o que está mal e mostrar tudo quanto de bom for feito para bem de todos.

Não nos aventuramos a pensar que tenha sido por causa da nossa denúncia que as obras foram feitas, mas se assim foi, agradecemos por nos levarem a sério e por isso acharmos que vale a pena chamar a atenção dos responsáveis pelos destinos da nossa freguesia.

Não nos aventuramos a pensar que tenha sido por isso, porque se assim fosse, perguntamos: - Porque não consideraram os outros casos que por aqui vamos denunciando? 

 



publicado por J. Pereira às 21:30
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 14 de Outubro de 2008
Melhoramentos para o Clube de Caça e Pesca

 

 

Fui ver as vindimas e deparei com este trabalho, deveras curioso, a pavimentação da rua de acesso ao Clube de Caça e Pesca de Chaves que, como todos sabem, se situa na freguesia de Valdanta, lugar do Cando.
Esta pavimentação nada teria de anormal se as gentes do Cando e da Granjinha estivessem servidas deste enorme bem público e não andassem, há que anos, a reclamar por acessos condignos entre as duas aldeias e entre a Granjinha e sede da freguesia.
Passei pelo Cando para ver quem andava a vindimar e dirigi-me à Granjinha e qual foi o meu espanto e até exclamei um “Ah!...” de satisfação quando ao passar pela casa do Meida vi que havia asfalto fresco. Mas que desilusão e tristeza tão grande s se apoderaram de mim quando passados poucos metros vi que tudo isto não passada de uma mentira pura e simples.
Com tudo isto não quero dizer que os caçadores não tenham direito a ter os caminhos para a caça pavimentados. Até acho que seria muito original que todos os trilhos de caça fossem dotados de um pavimento condigno para que os caçadores não dessem cabo dos seus “todo-o-terreno” que por acaso até nem são nada baratos, nem dessem cabo das botas apropriadas compradas em casa da especialidade. O que acho muito estranho é que as pessoas que moram na Granjinha e que tenham que tratar de qualquer assunto na sede da Freguesia, como por exemplo pedir uma declaração de residência na Junta de Freguesia tenha que ir a Chaves e depois ir a Valdanta. Quem de Valdanta, Cando e Abobeleira tenha assuntos ou interesses na Granjinha tenha que andar a inventar caminhos para chegar ao destino.
Pensem só neste pormenor: -Morre uma pessoa na Granjinha e, por não haver alternativa o defunto terá que ser levado para o cemitério de Valdanta. O agente funerária que não quer dar cabo do seu carro vai pela estrada asfaltada que existe e então vai até às Casas dos Montes e depois para Valdanta com o respectivo cortejo fúnebre atrás dele, ou então as pessoas vão por um lado e o defunto vai por outro acompanhado apenas por quem tem carro.
 
 
Para mim a freguesia de Valdanta continua a ser um todo composto por 4 aldeias todas com os mesmos deveres e com os mesmos direitos e que todas devem ter as mesmas condições de vida pois quando o sal nasce é para todos e não vamos dar aos de fora regalias que nós não temos, pois temos que pensar bem a nossa terra para poder dar também qualidade aos de fora porque isto de dar tudo aos de fora e deixar-lhe fazer tudo com prejuízo da gente local já chegam os muros altos das vedações das casas dos de fora para que ninguém os veja. Parece-me que não metemos medo a ninguém.
Também não entendo porque é a população residente de Valdanta é quase o dobro dos eleitores, mas isto é assunto para outra conversa.


publicado por J. Pereira às 13:38
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Sábado, 11 de Outubro de 2008
Vindimas V

 

E pronto vamos dar terminada a nossa missão de divulgar as voltas de uma vindima.

Se calhar é pelo facto de dar tanto trabalho que o vinho é dos bens mais apreciados. Eu acho que juntamente com o pão são os bens de sobrevivência mais trabalhosos para o lavrador.

 

 

 

Vindimou-se, pisou-se, encubou-se, comeu-se, bebeu-se e brincou-se com alegria e amizade, por isso é tempo de espremer convenientemente o bagaço aproveitando tudo até à última gota e guardá-lo, esperando que a vez lhe toque no alambique, caseiro (como este) ou industrial como o das Eiras ou de Calvão para se destilar e presentear-nos com uma aguardente divinal daquelas que aquece o corpo e o espírito nos frios dias de inverno que se aproximam a passos largos.

 

 

Suponho que muita gente não fazia ideia do trabalho que dá o vinho, mesmo só falando do seu fabrico final, porque uma vinha é necessário podá-la, descavá-la, tratá-la com várias caldas para evitar as pragas e as doenças, cavá-la, redrá-la, desfolhá-la e visitá-la a miúdo com atenção e olhos de ver para que o produto final seja de boa qualidade.

Fico por aqui com a promessa de que voltarei com novos temas e novas conversas.

Até sempre.



publicado por J. Pereira às 11:26
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito

Quinta-feira, 9 de Outubro de 2008
Vindimas IV

 

 

Os pipos estão repousando à espera do vinho novo. Foram lavados, desintectados e, secando e escorrendo esperam o novo néctar.

 

 

E depois é isto, a fermentação e o apuramento para que se torne divinalmente delicioso.

 

 

Mas o trabalho ainda não acaba aqui e é necessário dar mais voltas para que outras delícias apareçam.

Amanhã vamos à aguardente. Até lá esperamos que o mosto "ferva" e se componha à espera das primeiras geadas.



publicado por J. Pereira às 21:49
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Quarta-feira, 8 de Outubro de 2008
Vindimas III

Depois da vindima é necessário pisar as uvas e dar-lhe "trabalho" para que fermentem bem e fique um vinho apurado que só a mestria desta tradição é capaz de fazer.

Por aqui se vai pisando durante algumas horas, sempre em movimento até que no cimo do vinho só apareçam as graínhas das uvas.

 

 

 

É nesta altura que se sai do lagar e se deixa o mosto em repouso durante um dia para que fermente e que todo o cango venha ao de cima. Nesta altura será necessário dar uma nova pisadela ao mosto até que todo o cango vá ao fundo e no cima apareçam novamente apenas as graínhas das uvas.

Quando a "cortiça" (cango) voltar a levantar será hora de encubar.

No entanto após todo este trabalho, a rapaziada tem direito a um lauto jantar, onde aparecem as melhores iguarias da casa.

Durante todos os trabalhos referentes à vindima reina a alegria e a boa disposição porque ainda há vinho velho para animar a malta.

 

 

Bom apetite para todos e amanhã traremos aqui uns pipos que esperam pelo vinho mosto.

 

 

 



publicado por J. Pereira às 10:35
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Segunda-feira, 6 de Outubro de 2008
Vindimas II

 

São horas de começar a vindimar. encontrámos dois ranchos de vindimadores.

Estes andavam mesmo às portas da cidade lá para as Lamarelhas.

 

 

 

 

E este grupo também não andava longe. Vieram do Cando e da Granjinha e fui encontrá-los na Veiga da Granja.

 

 

 

Espero provar do néctar proveniente destas uvas e para isso ficam desde já avisados o Nel e o João Cruz.

 

Amanhã vamos ver como se pisam as uvas.



publicado por J. Pereira às 22:24
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Domingo, 5 de Outubro de 2008
As Vindimas I

Hoje, pensei mostrar uma vindima de Valdanta porque é Outono, o tempo está bom, as uvas estão maduras e é necessário recolher a matéria prima para elaborar o famoso néctar de Baco com que as pessoas se vão deliciar durante o ano e lhes vai dar alma, alegria e força para fazer frente às agruras da vida.

Pensei dedicar apenas um Post às vindimas mas vou ter que fazer mais alguns porque o material é muito e tudo numa só página seria muito pesado.

 

As vindimas - Preparativos:

As pessoas, amigas e convidadas, chegam cedo, mas não se pode começar muito cedo porque há orvalho e á necessário deixar secar as videiras.

 

 

Então é necessário aquecê-los e entretê-los até que a vinha esteja em condições de se poder trabalhar.

Uma "bucha" e um copo para animar enquanto os potes que estão ao lume vão tratando de cozer as iguarias para o repasto final.

 

 

 

 

E agora vamos à vinha que se faz tarde. Pela amostra não se passará sede duarante o ano.

 

 

Antes foi necessário limpar tudo o que vai receber as uvas e o néctar, lagar, vazilhas, dornas e tudo o que possa por em causa a sua qualidade.

Hoje fico por aqui e amanhã vamos vindimar.


sinto-me: Já um pouco tonto

publicado por J. Pereira às 16:02
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

J. Pereira
Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


O Tempo em Valdanta
blog-logo
Flavienses TT
Visitas
posts recentes

Uma Matança em Valdanta

Mais reis

Os Reis de 2013 cantados ...

S. Domingos

Cantos da minha paixão

O Folar de Chaves

Neblina até Curalha

Grupo AMIZADE

CALDO DO POTE (para o Nov...

Boas Festas

O Cando com Encanto

Valdanta está em festa

Festa de S. Domingos - Pr...

Um amigo está doente

“Maldição de S. CAETANO(?...

Xinder

Princípio do Fim

Brincadeiras

UMA PÁSCOA EM TEMPO DE CR...

Missa de 7.º Dia

Recantos da minha Terra

Geração à Rasca

Valdantenses por outras p...

A Primavera vem aí

S. Domingos 2011

Amendoeiras em Flor

Reflexos

Tive Sorte

Recantos

Beleza de Valdanta e do M...

Esclarecimento

O recreio da minha escola

Um bom serão

Torneio de FUTSAL

Os Reis

Hoje é dia de Reis

Feliz 2011

Feliz Natal

Matança do Reco na ABOBEL...

O Blero

G. D. de Chaves (anos 50)

4.º Aniversário do Blog

S. Domingos - Resumo da s...

Ovelheiro

Igreja da Abobeleira

Nadir Afonso - Doutor Hon...

Encontro dos Bloguistas d...

Recanto de Valdanta

A D. Maria Isabel faleceu

É preciso ir aos treinos

arquivo

Março 2013

Janeiro 2013

Agosto 2012

Maio 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006